COLCHA DE RETALHOS

  Tantos eram os seus papéis! Esposa, mãe, sogra, nora, professora, chefe de família, amiga e mentora de todos ali daquele pedaço de mundo. Um lugar onde a civilização não chegara. Todo seu conhecimento era fruto do seu espirito de observação. Sua sabedoria ocupava seus dias. De qual lado o Sol nasce? Então era aliContinuar lendo “COLCHA DE RETALHOS”

PEDIDO NEGADO

Diana recusou o pedido de casamento. O seu “não”  quase foi gritado, de tão firme. – Como ela teve coragem? – Lara fala baixinho. – Cara, ele saiu vermelho e com um jeito de quem estava prestes a chorar. – Não exagera, Paulo – diz Eduarda. – Será que ela marcou com ele aqui? NoContinuar lendo “PEDIDO NEGADO”

A VÓ DE MARIA

Maria sabe que não é época de vacas gordas. Sabe por saber, ninguém precisa falar. É fácil perceber. O café da manhã é frugal. Maria aprendeu essa palavra e a acha linda! Então ela repete mentalmente : a minha refeição é frugal. E a beleza encontrada nos ensinamentos da aula de português é suficiente paraContinuar lendo “A VÓ DE MARIA”

CAPITU MODERNINHA

Capitu bem cedo sabia o que queria. Ela almejava conhecer o amor, conhecer o mundo, viver intensamente. Ahhh, mas filha única como era não seria assim tão fácil esses seus quereres todos. Ela tinha mãe e pai conservadores. Que também tinham seus sonhos! Não que Capitu terminasse o colegial e fosse para a capital estudar,Continuar lendo “CAPITU MODERNINHA”

MEU PRÍNCIPE

Adriana, Lidia e Sonia são amigas inseparáveis. Desde a escola primária, vivem grudadas umas nas outras. – Adriana, pede pra sua mãe deixar você dormir sábado aqui em casa? — Mas e a Lídia?  — Ela já confirmou. A avó dela deixou. — Tá bom, amiga. Vou ver se a convenço. Com a noite dasContinuar lendo “MEU PRÍNCIPE”

A CASA DO BBB

Sonho em entrar no BBB. E já me inscrevi, fui entrevistada, a emissora local me deu apoio, fiz o vídeo. Achei que seria chamada. Mas não fui.O BBB existe há 21 anos. Estou ficando velha. Desde os 30 eu quero ir. Sei o quanto eu ia ser muito querida pelos colegas e pelo público.Cozinho queContinuar lendo “A CASA DO BBB”

PISCINAS VAZIAS

Que tristeza me dá ver as piscinas vazias! Não, elas não são sem águas. São piscinas sem gente! Sem jovens, sem crianças, sem adultos.Sem risadas, sem nada e sem ninguém! Porque fico triste? Elas estão ali confiadas aos seus cuidadores e estes limpam, filtram, colocam os produtos , e lentamente vão retirando as folhas secasContinuar lendo “PISCINAS VAZIAS”

OLHA O PASSARINHO

As crianças na década de setenta tiveram um ou mais de um, com certeza! Pode ter sido colorido e grande. Pode ter sido retângulo pequeno em preto e branco. Não era barato. Nem era comum. Era uma oportunidade surgida lá de vez em quando. E quando era de carneiro? Um acontecimento! Vinha o retratista comContinuar lendo “OLHA O PASSARINHO”

TRAGA O MATE

Linhas coloridas, brancas, carretéis com formato de cones.  Tesouras que faziam roc, roc ao deslizar nos tecidos mais encorpados, obedecendo o trajeto comandado por aquelas mãos já calejadas. No chão, caixas para juntar as arestas e retalhos, que ao fim do dia seriam separados para uso futuro ou descartados, como as bandeirolas  multicoloridas ao fimContinuar lendo “TRAGA O MATE”

O SEGREDO

Joana estava noiva e com casamento marcado. Morava em uma vila de casas e era  conhecida de todos. Seu noivo Paulo  viera de fora para trabalhar na fábrica de cimento que havia na cidadezinha próxima. Era engenheiro de produção. Rapaz fino, de cidade grande, bonito, bem apessoado, um partidão, como falavam as amigas da mãeContinuar lendo “O SEGREDO”

SONHOS

As colinas faziam parte dos dois sonhos. Na verdade, não eram propriamente colinas. Havia longos trechos planos, algumas pedras ou rochas que formavam os aclives, e novamente a planície. O proprietário da primeira casa escolhera a parte plana ao fundo do terreno para construir o casarão. Sendo assim, havia uma  alameda em suave relevo queContinuar lendo “SONHOS”

A GAROTA, A AVÓ E AS ESTRELAS

— Vovó, olha como o céu tem muitas estrelas hoje!— Oi?— O céu, vó! Tá cheinho de estrelas. Tô com medo!— Medo? Medo de quê, Anita?— Medo de você, ou a mamãe, ou o Pedrinho virar  estrela e ir morar no céu.— Anita, de onde você tirou isso?— Ah, vó, eu sei que quando asContinuar lendo “A GAROTA, A AVÓ E AS ESTRELAS”

O CAFÉ

Sabe aquela música brasileira ”Vestiu uma camisa listrada e saiu por aí”, de Assis Valente, que foi sucesso primeiramente na voz da cantora Carmem Miranda e depois com inúmeros outros artistas? Vocês a conhecem? Se a resposta for sim, então penso vir à sua mente um tipo de homem cheio de malemolência, daqueles de boaContinuar lendo “O CAFÉ”

DUAS VIDAS

 A história de um homem que lê um romance nos leva a indagar: quais são os limites entre a realidade e a ficção? Sim, porque deve haver esse limite! João tendo trabalho, esposa, filho,  contas a pagar, mãe a visitar, futebol para jogar aos sábados, e todas as minudências que se entrelaçam e fazem oContinuar lendo “DUAS VIDAS”

UM VIVA AOS DEZESSETE!

Vinham todos juntos. Moravam para o mesmo lado e estudavam na mesma escola. O grupo era composto de oito adolescentes. Cidade do interior é assim. Vizinhos são colegas, amigos são vizinhos. Mãe é comadre de outra mãe, pais trabalham na mesma companhia, a vida é coletiva. Mas o grupo não era homogêneo. Havia os sub-grupos,Continuar lendo “UM VIVA AOS DEZESSETE!”

NELSON ÀS AVESSAS

— Oi, vai desocupar? — A vaga? Sim, só um minutinho. Logo chega um garotinho e entra no carro de Diana. O carro do rapaz estava com o pisca alerta ligado, ele afasta-se um pouco para que ela possa sair. Ela dá um tchauzinho e arranca com o carro. Não sem antes olhar pelo retrovisorContinuar lendo “NELSON ÀS AVESSAS”

O BAILE DE FORMATURA

  Marta sentia que a cidade era dividida. Geográfica, cultural e socialmente. Esse sentimento ora aflorava com ímpeto, ora era apenas subentendido por ela. Não que ela ficasse segregada a um lado só da cidade. Não! A escola, o clube, a biblioteca, entre outros recintos e departamentos, embora ficassem à direita da vala que separavaContinuar lendo “O BAILE DE FORMATURA”

A LOIRA DO BANHEIRO

  — Alguma coisa deve ter acontecido com ela no banheiro.  — Seria no banheiro de casa? Ou no da escola? Talvez no banheiro de uma estação de ônibus. E se era passageira e não olhou o número do próprio ônibus antes de entrar no banheiro? Na estação, ficam dez ônibus com motoristas impacientes apressandoContinuar lendo “A LOIRA DO BANHEIRO”

A NOIVA

Lá vem ela! A noiva. Umas vinte pessoas a acompanham. Ela desceu de um ônibus. O noivo desceu também. As pessoas a esperavam ali. E vieram em um cortejo a pé. Ao seu lado, o noivo. Mas os olhos de todos era para a noiva! Ela era a curiosidade, ela era a estranha, ela eraContinuar lendo “A NOIVA”

O TRAJETO

Cansada, tarde da noite a moça atravessa a pé um triângulo de ruas, para finalmente chegar à avenida onde passa seu ônibus. Ela sabe que não devia fazer esse trajeto, mas só de pensar em aguardar quarenta minutos em outro coletivo para chegar ao mesmo ponto de ônibus, lhe dá o impulso necessário para,  mesmoContinuar lendo “O TRAJETO”

MEDO

Luiz descia a rua assoviando. Mais uma quadra e meia chegaria em sua casa. O bairro era escuro, poucos postes de iluminação, o dia ainda no lusco-fusco do alvorecer. Ele era porteiro de um hospital e estava vindo de seu plantão noturno. Antes da esquina onde morava, Luiz passou em frente ao que fora umaContinuar lendo “MEDO”

DOMINGO

  Sol quente, areia queimando os pés, algazarra, sucos, cervejas, caranguejos sendo quebrados, socados com um martelinho de madeira, numa busca frenética pela carne branca e rija que seriam mergulhados em molho para serem comidos. Na mesa, mais ou menos umas oito pessoas falavam e riam. Era uma alegre e típica família que viera aproveitar um domingo na praia. “Queijo coalho” ouviam-seContinuar lendo “DOMINGO”

PAIXONITE

  Seu Alberto era um homem bonito. De barba cerrada, bem feita, um cheiro bom de lavanda. Manco de uma perna, distraído  ia e vinha do serviço a pé. Seu sapato adaptado lhe dava um  caminhar seguro, apesar da diferença de tamanho entre suas pernas. Naquele bairro trabalhadores e alunos saiam cedo para o expedienteContinuar lendo “PAIXONITE”

VERDADES OCULTAS

  — Então amor, o que você me diz? – perguntou Adriano com a caixinha das alianças reluzentes, aberta em sua mão. Ele não demonstra, mas seus lábios secos, sua voz com um tom agudo e um leve altear de uma sobrancelha que eu conhecia bem, foram os sinais do nervosismo que ele tentava disfarçar.Continuar lendo “VERDADES OCULTAS”

O ESTRANGEIRO

Um estranho. Para as pessoas distraídas, apressadas, pensativas, envolvidas em seus pensamentos ou problemas, em que mudar a marcha do carro vem a ser um ato automático, o rapaz parado ali naquele cruzamento praticamente não existia ou era apenas isso: a figura de um estranho. Nem sequer era olhado pelo retrovisor ao ficar para trás.Continuar lendo “O ESTRANGEIRO”

O CASARÃO

O trem vinha diminuindo a marcha, Adélia acordou as crianças, um menino de cinco anos e a garotinha de dois anos. Paulo, seu marido, pegou as malas, sacolas, e a bicicleta do vagão de carga. Quando o trem parou as pessoas desceram, uns abraçavam eufóricos os parentes, outros buscavam o carro de praça, outros colocavamContinuar lendo “O CASARÃO”

Estranhezas…

Almas. Almas rasas, almas profundas. Almas quietas, almas inquietas. Almas glutonas. Ou seriam corpos glutões? Almas machucadas, doídas, que são só percebidas. Almas irmãs, almas curiosas. Ao nos encontrarmos para um almoço coletivo temos uma infinidade de providências. Depois de tudo providenciado, aí é só curtir, conversar, rir, comer, beber. Ou ver as almas. ÉContinuar lendo “Estranhezas…”

Minhas histórias

Eu a considerava uma idosa. Mas ela era apenas uma mulher sozinha. Nas famílias antigas era muito comum acontecer isso. A moça que não se casava ficava na família, à disposição de quem precisasse dela. Só hoje eu tenho esse olhar, esse entendimento. À época eu olhava a necessidade que eu tinha dela, o quantoContinuar lendo “Minhas histórias”

Roda,roda…

http://www.instagram.com/p/COZ0STOBN2Y/ Desde que eu vi essa roda gigante multicor eu me encantei por ela. De um cantinho da janela da minha cozinha eu a olho e a acho muita serena…delicada…de uma beleza colorida e um rodar calmo que quase me hipnotiza. Fico feliz quando encontro belezas inesperadas como nessa roda gigante tão despretensiosa em suaContinuar lendo “Roda,roda…”

Do que eu gosto.

Sobre as mentorias lembram-se que escrevi? Que na minha opinião os infoprodutos tomaram conta das redes sociais com uma promessa de lucro fantástico e não sei quantos k de seguidores? E que para mim, se a pessoa não tivesse uma prova social robusta eu não conseguia aprovar esse modelo de ação. Que na área LiterariaContinuar lendo “Do que eu gosto.”

Depressão

““Preguiça demais às vezes é depressão. Conheça os principais sintomas: ISOLAMENTO – fique atento aos exageros da introspecção. MELANCOLIA – uma pontinha indefinida de tristeza durante 15 dias ou mais. DESINTERESSE – a falta de entusiasmo para coisas boas da vida, como se divertir e namorar, deve acender uma luzinha. ESTRANHAMENTO – sensações que dificultamContinuar lendo “Depressão”

New York

Nova York ano de 2018   Uma viagem a um mundo fascinante e surpreendente. Embora eu já esteja prática e legalmente idosa, ainda tenho a imaginação e a curiosidade juvenil. Então não se surpreenda com os meus encantamentos! Se deixe levar! Nova Iorque é cosmopolita. É vibrante, maravilhosa! Deu bem para entender o fascínio exercidoContinuar lendo “New York”

Lembranças e Saudades Jardim-MS II

Em início de 1967 eu cursava o terceiro ano ginasial e faria 15 anos em outubro daquele ano. Aos rapazes ( meus irmãos), a vida oferecia um futuro delineado no que os aguardava como serviço militar obrigatório, mas que no fundo era uma boa possibilidade de aprenderem uma profissão, engajarem na vida militar, ou mudaremContinuar lendo “Lembranças e Saudades Jardim-MS II”

Nossa idade

Nossa idade está na moda. Todos falam muito dela. A tal Terceira Idade. Vocês que são meus amigos sabem como eu sou, não é? Ora uma doçura de pessoa, ora mordaz e rápida em minhas respostas. Mas estou sempre e cada vez mais exercitando sentimentos nobres, paciência benfazeja e tolerância sincera. Faço isso por opçãoContinuar lendo “Nossa idade”

Ainda sobre os cuidados…

Não sou chata, sou atenta. E sou sua amiga. Por isso divido minhas descobertas, mesmo que elas pareçam óbvias! Sabe , a gente tem muitas coisas na cabeça, quanto mais idade temos mais nosso deposito de lembranças, conhecimentos, pessoas, assuntos se acumulam. Então, às vezes, alguém nos dá um toque de algo útil que naqueleContinuar lendo “Ainda sobre os cuidados…”

CuidadosxCarinhos

Um carinho faz bem. Um cuidado também! E quando o carinho e o cuidado são escolhas conscientes e se aplicam a você mesmo, a sua pessoa? Nesses casos eu acho um grande exemplo de amor-próprio, além de uma necessidade mesmo de sermos responsáveis por nosso bem estar, até quando isso for possível. Não é porContinuar lendo “CuidadosxCarinhos”

Dia 04/04/2021 – Domingo de Páscoa

Lembro-me da minha infância. Só lembranças boas. Que felicidade é ser criança, a alegria genuína, não a alegria de ter alguma coisa. É alegria de ser! E o que eu era? Uma garota entre vários irmãos, primos, tias e tios, uma avó que era cuidada como se fosse uma relíquia, um pai amoroso e umaContinuar lendo “Dia 04/04/2021 – Domingo de Páscoa”

Quem é Keta Gonzalez

É uma marca de produtos de couro. Qual é o diferencial? Por que essa marca está aqui no DIVINAS EM BLOG ou BLOGDASDIVINAS? O diferencial é que os produtos são confeccionados por uma artesã que cria o design, corta e costura o couro de forma artesanal. São de retalhos de couro, por isso não háContinuar lendo “Quem é Keta Gonzalez”

Calçar bem

Quando somos jovens compramos os sapatos pela beleza, modismo, evento e conforto também. Mas o foco é se o sapato combina com a roupa, ou com a bolsa, se é para o dia, ou para a noite. Enfim, compramos sapatos. Ainda mais se formos mulheres! Aí o sapato já vira um objeto de desejo mesmo,Continuar lendo “Calçar bem”

Criado como filho. Será?

Criado como filho! Hoje, Sexta-Feira Santa, participei da Via-Sacra. E entre todas as Estações, aquela em que Maria coloca o corpo do seu filho Jesus no colo me chamou atenção. A mãe de Jesus estava ali durante todo momento. Aí me distraí e lembrei de uma postagem de uma amiga que li essa semana. ElaContinuar lendo “Criado como filho. Será?”

Mentorias 2

Continuando a minha percepção sobre mentoria, é notório o quanto as pessoas estão investindo em uma rede social que nasceu como se fosse ser apenas mais uma, mas tomou uma proporção muito grande. Qual é o segredo das pessoas e marcas que alcançam estratosféricos números de milhões de seguidores? A maioria tem uma equipe porContinuar lendo “Mentorias 2”

Descobertas

Parece incrível descobrir já na idade madura características que não tínhamos. Ou será que tínhamos e não percebíamos? Ou será que desenvolvemos agora na terceira idade? Amigos(as) vamos prestar atenção, antes que vire mania e pior, vire defeito! Você já reparou naquele seu amigo que tudo ele quer que você repita? Pode ser muitas coisas:Continuar lendo “Descobertas”

Minhas mãos

Sabe o que me pertence? O meu corpo. Falo do corpo mesmo. Cabeça, braços, torso, pernas, mãos. Conheço cada pinta nova, cada ruga, cada mancha. Antes eu só olhava meu rosto. Meus olhos contavam o que me ia na alma, no espírito.Tempo de perguntas, tempo de surpresas, tempo de urgências. Isso bem antes, na juventude.Continuar lendo “Minhas mãos”

Pandemia

O período de isolamento social está completando quatro meses já. Quem não terá notado esse período? Haverá quem não o tenha notado? Ouvi muitas vezes a pergunta: Que mudanças ocorrerão no mundo depois dessa pandemia? E também ouvi respostas variadas. Mas a que me parece mais verdadeira é que nada vai mudar. Terá sido umContinuar lendo “Pandemia”

Escrever

Escrever é existir. É resistir. O que mais eu posso fazer neste período negro da humanidade que não seja existir e resistir? Sendo assim escrevo. Sobre o presente escrevo o que a doença Covid-19 causa, qual a reviravolta que o coronavirus deu e está dando no mundo. Sobre o passado tiro cuidadosamente o véu dosContinuar lendo “Escrever”

Heroínas II

Quando me referi a Maria ( Mãe de Jesus) como minha heroína, falei de forma rápida, só fiz uma referência. Agora quero falar de como ela me toca, de como eu a sinto grande, enorme mesmo, em sua fé e entrega. A imagino em casa, camponesa, filha obediente, mocinha bonita, linda mesmo, recatada, vivendo aquelaContinuar lendo “Heroínas II”

Imaginação

Existem frases lindas, às vezes dizem tudo, às vezes dizem nada. E eu? Eu “viajo” na imaginação, rsrs “Ela era poema, ele não sabia ler”. Esse me remete à mulheres de alma sensível, e homens toscos. “Tenho fases como a lua, fases de andar escondida, fases de ir para a rua” Que lindo, não é?Continuar lendo “Imaginação”

Velho? Não!Experiente? Sim!

Gostei copiei e colei. Os dez mandamentos da 3ª idade: 1º – Não se aposente da vida pra se tornar a praga da família. A vida é atividade, e o verdadeiro elixir da eterna juventude é o dinamismo. Não despreze as ocupações enquanto tiver energia para as lutas cotidianas. Se não tiver nada pra fazer,Continuar lendo “Velho? Não!Experiente? Sim!”

To com saudade…

Estou com saudade de escrever… Mesmo quando não estou postando minha mente está a mil. Pensei em tantas coisas, vi , ouvi , refleti , assisti , critiquei, aprendi, desaprendi… Aí já viu, não é? Preciso escrever! Vou falar agora de uma dor imensa que partilhei num dos grupos de terceira idade ao qual pertenço.Continuar lendo “To com saudade…”

Reencontro

Nos reencontramos neste final de semana. Quem? Amigos de quase 40 anos de amizade e convivência, novos colegas que provavelmente se tornarão amigos, filhos dos amigos, amigos dos filhos, até o mais novo integrante do grupo, o Enzo, com três meses esteve nesse encontro. Da vida o que se leva é o amor dado eContinuar lendo “Reencontro”

As aparências não enganam…

Eu nunca valorizei maquiagem… quando jovem minha imagem me bastava: Pele Morena jambo, olhos verdes, cabelos castanhos escuros… Uau!!! Que gata que eu era! Bom, os anos foram passando, a pele escureceu com as manchas, passei a pintar o cabelo , os olhos continuam verdes, mas as rugas, as verruguinhas, as olheiras, tudo se acentuaContinuar lendo “As aparências não enganam…”

Segunda-Feira

Ah, segunda-feira…você já foi meu amor e ódio, minha alegria e minha tristeza, oh, se foi! Hoje nós somos amigas! Amigas, sim. Amigas, porque a semana recomeça, vou a clínica, faço exercícios físicos, fisioterapia respiratória, reencontro os “colegas”, colocamos as novidades ou notícias em dia, nos animamos e volto para casa com energia renovada. Ah,Continuar lendo “Segunda-Feira”

Terceira Idade

Não consigo entender esse nome. Porque terceira? Quem dividiu a vida dessa forma? Não sei… deve ter estudos, pesquisas, evidenciando essas etapas… eu não me aprofundei nessa questão. A mim interessa o ser humano… a idosa, o idoso. Penso neles, sou um deles, sinto como eles. E me surpreendo sempre. Tem os que se entregam,Continuar lendo “Terceira Idade”

Experiências

Vou falar de fé. Fui criada numa família grande, pai, mãe, irmãos, irmãs, tios, tias, avós…Minha família tinha suas raizes nas nacionalidade paraguaia , espanhola, latina, portanto a fé congregada seguia esse padrão. Não era fria, de ritos apenas. Porque digo isso? Porque é uma fé intensa, exagerada, dramática. Tanto para nos amedrontar com osContinuar lendo “Experiências”

Grupo II

Ainda sobre os grupos, também tem o grupo de watss da Família. Filhos, genros e netos. Não é um desses grupos de bom Dia, boa noite e repasse dessas frases motivacionais ou posts prontos que existem aos montes por aí! Nosso grupo familiar é interativo. Ocasionalmente eu faço chamada, tipo escola mesmo: lista de chamada:Continuar lendo “Grupo II”

Grupos.

Tenho um grupo de amigas. Poucas são mais idosas que eu. Abaixo da minha idade, a maioria. Jovens? Algumas… Nós brincamos de regras. As mais novas devem cuidar das mais velhas…Nosso grupo é aberto a novas pessoas que vão chegandomoradas dos filhos, netos, noras, genros, a gente vai agregando…tem espaço para todo mundo. As regrasContinuar lendo “Grupos.”

Mundo Volátil.

Interessante como as redes virtuais não nos deixam cair na rotina. A comunicação é instantânea, os assuntos são variados, as opiniões são dadas sem nenhum constrangimento. No entanto , o colóquio, a conversa, o olhar nos olhos, o cuidado ao falar, vai ficando mais escasso.É muito estranho isso. Nos comunicamos veementemente pelo waths, mas nãoContinuar lendo “Mundo Volátil.”

Sem noção

Me ajudem a refletir…existem situações, comportamentos, pessoas que arrancam da gente a expressão: como é sem noção! E todos entendem! Não é preciso explicar mais nada, apenas dizer que é sem noção, já sabemos que foi algo inadequado, inapropriado, hilário, ou sem noção mesmo! Mas como toda moeda tem duas faces eu me pergunto: asContinuar lendo “Sem noção”

Dèjavü

Já vivi isso? Não… não que eu me lembre…Então esse sentimento de esmorecer, desanimar, está aqui porquê? Ânimo ! Levanta, sacode a poeira e dá a volta por cima ! Assim diz a menina que mora neste corpo já entrando na velhice e que tende a se dobrar. Só tende, pois que se realmente seContinuar lendo “Dèjavü”

Coisas, tralhas, objetos…

Estou de casa nova. Não é uma novidade…já que diferente do meu eu interior, o meu eu externo é adaptável à mudanças. Já falei sobre isso num post anterior, quando deixei uma casa sonhada e construída por mim e para mim. Então o que há de novo agora? Ahhh, sempre me deparo com algo aContinuar lendo “Coisas, tralhas, objetos…”

Retornei…

Vocês não fazem ideia de onde estive. Nem eu faço ideia! Num pequeno espaço de dias, em mudanças que parecem lógicas, coerentes, em práticas não vivenciadas, em tudo isso eu sumi. Ocasionalmente eu me encontrava, mas propositalmente me perdia novamente. Sou dessas. Casulo e Borboleta. Silêncio e Barulho. Ou melhor fui dessas. E quando tudoContinuar lendo “Retornei…”

Não me apressem II

Ainda na questão da pressa, havemos de ficar atentas também quando saímos de casa. No post anterior falei sobre o lazess-fair, mas nem só em casa vivemos, por isso vou abordar outra questão sobre quando saímos para fazer atividades comuns, mas que em nosso caso, passam a não ser mais assim, rapidinhos. Exemplo, ir àContinuar lendo “Não me apressem II”

Não me apressem…

Não quero ser apressada, para nada e por ninguém. É um direito que eu me dou, um luxo que eu me concedo. Alguma vantagem tenho que ter por estar na terceira idade, não é? Já me apressei por tempo demais, por coisas demais…Acho que desde que me vi adulta aos dezesseis anos até minha aposentadoriaContinuar lendo “Não me apressem…”

Ajuizados

Quando somos jovens recebemos muitos votos de que “tenhamos juízo”, não é? Juízo é tão chato! Juízo poda, diminui, corta…Mas, se não for assim não aguentaríamos ou nao nos aguentariam, numa vida sem juízo. Na verdade, o juízo é o livre arbítrio ou o meio termo entre poder, querer e fazer. Meus queridos jovens, euContinuar lendo “Ajuizados”

Viagens

Um pedacinho de mundo jamais sonhado. Assim foi Las Vegas! Mas, mais do que o lugar, a frenética cidade louca, os jovens aos bandos, os idiomas de vários países, o ritmo alegre e fervilhante das ruas, shopping, lojas, cassinos, os outdors, e tudo que me deslumbrou em luzes e espetáculo, MAIS DO QUE TUDO, LasContinuar lendo “Viagens”

Escrever

Escrever me aquieta a alma. Me conecta com um pedacinho de mim que insiste em sair, olhar, recordar, falar… Quem me ouve ou me lê? Não sei, quero apenas ser lida por quem, como eu, enxerga sentido nos meus devaneios. Se me entenderem já terei ganho mais do que o esperado, pois escrevo para mimContinuar lendo “Escrever”

Adolescimento

Adolescimento’ impede que se estabeleça relações adultas Ivan Martins: “As pessoas querem amar com a volúpia dos adolescentes, mas sentimentos adolescentes não resistem à intimidade e ao convívio” Maya Santana, 50emais Nesta interessante crônica de Ivan Martins, da revista Época, ele fala de uma faceta nossa, mesmo entre pessoas que já passaram de uma certaContinuar lendo “Adolescimento”

Pequenas histórias III

Hoje estou deveras em determinado período do passado… O que me conforta dos sentimentos conflitantes que vivi nessa época é que anos depois, já vivida e madura fui testemunha de que a divisão de sentimentos, o conflito entre o que é e o esperado não foi um sentimento só meu, por ser muito nova, etc…ViContinuar lendo “Pequenas histórias III”

Pequenas histórias II

E quando eu li o Pequeno Príncipe ? Que doçura, que carinho na alma aquele pequeno príncipe me fez? Foi também no período “vc se casou, tem uma filha, é adulta, tem marido, obrigações domésticas e maternais, e a vida é esta! Como absorver algo tão acima da minha mente quase infantil e sensível? SemContinuar lendo “Pequenas histórias II”

Pequenas histórias

Vou de pequenas histórias…como, por exemplo a recordação que tenho dum quintal grande, cheio de pés de laranjas e que eu varria pela manhã, com vassoura feita de guanxuma, minha pequena filha andando tropegamente ainda, me seguindo, catando uma folha aqui, uma pedrinha ali e eu varrendo e cantando a música que minha professora nosContinuar lendo “Pequenas histórias”

Sinônimos…

Pijamas bons, meias quentinhas e que não apertem, edredons e lençóis de algodão de “trocentos” fios, controles remotos funcionando bem, silêncio…Aos poucos, nossos conceitos de “gostoso” vão sendo substituídos…Melhor idade? Bom, se a outra alternativa é não ter idade nenhuma, então que vivamos essa fase da forma mais “gostosa” possível! Bom Dia!

Álbum de Fotografias

#Reflexões# Em todos os aspectos de nossa vida sempre encontramos uma idéia, uma prática, um exemplo que nos chama a atenção. E isso fica registrado num cantinho de nossa memória com um quê de surpresa ou admiração. Lembrei-me hoje duma funcionária linda que trabalhava comigo , casada com um homem igualmente lindo e que tinhaContinuar lendo “Álbum de Fotografias”

Biografia

Tenho tantas história que sempre ouço quem me diga: porque vc não escreve um livro? Eu diria que minha vida teve passagens marcantes, doloridas, alegres, surpreendentes, previsíveis, patéticas, e que, com a memória e a facilidade de narração que tenho certamente ela daria um livro. Porquê não o faço? Sou tímida, lembram-se? Está lá noContinuar lendo “Biografia”

Intervalo

Entendo as transformações físicas como se fossem intervalos. Como teria sido bom se eu tivesse essa visão no período em que eu chamo hoje de intervalo maior. Dos 20 aos 50/60 anos. No primeiro período o menino quer ser homem logo, a menina quer ser moça e esse intervalo “voa”, meses fazem diferença, as criançasContinuar lendo “Intervalo”

Fragmentos

Fragmentos…de dor, de amor, de desamor, de emoção, de vida, enfim. Assim foi meu final de semana que teve a dor da partida da esposa de um amigo, a emoção juvenil dos noivos que disseram sim e que contagiou os jovens corações dos meus netos e mesmo que eu custasse a admitir o meu calejadoContinuar lendo “Fragmentos”

Descobertas!

Meu neto Júnior de sete anos disse uma vez: como Vovó é bobinha! Eu não me importei porque ele fez uma constatação carinhosa, por eu não entender um joguinho que eles estavam jogando. Hoje descubro que na verdade estava “bobinha” em muitas outras coisas. Quando decidi escrever um blog sobre aposentadoria e terceira idade foiContinuar lendo “Descobertas!”

Heroínas II

Ainda sobre as heroínas… Por longos anos eu me refugiei nos livros, eu viajei, eu amei, eu sofri e fui feliz através dos livros que lia. Conheci a Rússia, senti o frio do inverno russo, fui para a China antiga, a China camponesa, depois a China que se rendeu ao capitalismo. Conheci Paris, quadra aContinuar lendo “Heroínas II”

Envelhecer Bem

Envelhecer bem Hoje em dia, muitos estudiosos tentam compreender melhor o envelhecimento e suas características. Esse interesse se deve ao fato de que a população de idosos não para de crescer. Estima-se que em 2020, ela superará o número de crianças. Em um mundo mais envelhecido, como viver mais e melhor? É o que respondeContinuar lendo “Envelhecer Bem”

Heroínas

Ao ler um romance eu me aposso das minhas heroínas. Passo a entendê-las, sofro por elas, as condeno quando acho que estão errando e as aplaudo quando gosto das suas ações. Às vezes, as minhas heroínas não são as estrelas das narrativas. Acontece de ser até um personagem secundário, mas que me chama a atenção.Continuar lendo “Heroínas”

Mudanças

Nós, idosos, não gostamos de mudanças. Isso é fato! No entanto, não podemos nos apegar a isso, pois já nos mostramos uma geração de terceira idade diferente, revolucionária. Muito já se falou sobre isso: somos os idosos jovens, os sessentinhas bem resolvidos, ativos, que malham, viajam, namoram, começam novas atividades, moram muito bem sozinhos, entreContinuar lendo “Mudanças”

Natal

Gosto do Natal. Não vejo sentido em festejar o Ano Novo. Na realidade não tive esse costume em minha infância e não o assimilei na vida adulta. Na minha visão o Ano Novo é mais uma ilusão de que as coisas melhorem, que o peso diminua, que o corpo fique malhado, como se num passeContinuar lendo “Natal”