Reflexões

RODIN-LE-PENSEUR

Aqui não há explicações. Reflexões nascem aos montes desta minha alma, ora vivida, ora ingênua, que navega mais no mundo dos pensamentos, e que ao aportar à terra 
leva o nome de “distraída “. Divido com vocês então, minhas reflexões …

 

ESCREVER
Necessito escrever. É como se fosse um TOC (Transtorno Obsessivo Compulsivo). Será que tenho algum distúrbio, uma síndrome talvez? Não sei, o que sei é que praticamente todas as ocorrências da vida me parecem necessitar de algo escrito, um texto, uma observação escrita, sobre os fatos. Amo ler, já contei que leio o mesmo livro sob diversos ângulos? Leio. numa sofreguidão a primeira vez…depois leio um personagem de cada vez, depois o contexto político da época, leio a decoração, as paisagens, enfim, ler é um exercício que me deleita! Escrever e ler faz parte da minha personalidade, pois como já disse preciso olhar para os caracteres que contam a historia que foi por mim vivida, ou imaginada. Bom, felizmente este é um país livre e a liberdade de expressão é um direito constitucional! Portanto, eis-me aqui de volta ao meu blog!IMG_6464.jpg



O ROSTO NO ESPELHO 

E assim vão passando os dias…os meses…os anos.
E o rosto que me olha no espelho, tem um misto de surpresa e medo.
Surpresa em como o tempo passou rápido e medo do tempo que ainda vai passar.
É estranho, mas não há distrações, leituras, ou teorias que me tirem esses pensamentos.
Gostaria tanto de ser  leve, tranquila, inconseqüente, ou sei lá o quê!
Mas não, não sou assim. E em sendo como sou… Pelo menos, comigo mesma faço minhas constatações, minhas perguntas, meus porquês.

Esse e o rosto que me olha no espelho, essa sou eu!

DED99761-A8AB-4965-8DC5-C18AD8C62288

 

ÓCIO DIGNO

Ócio digno. Esse é o termo  que aprendi  sobre a aposentadoria, e o achei bem apropriado. Devo  introjetar essa idéia, me libertar do peso da responsabilidade com horários, resultados , compromissos, me libertar da parte formal que vivi por 35 anos e curtir o laissez faire de forma tranquila. Preciso aprender a ficar desocupada, sem nada para fazer e sem me sentir culpada ou até envergonhada por isso.

Preciso!

m000083745 preguica

 

PALAVRAS
18 de janeiro de 2014.
As palavras tem vida. Elas precisam sair, se mostrar, ver e ser vistas. Infelizmente ou felizmente, não sei, as redes sociais são o nosso canal de comunicação e é tudo muito rápido, ação e reação. Será que existe mais mentiras que verdades no que a gente lê nessas redes? Eu, de minha parte, ajo nas redes, como na vida real. Procuro ser cortês, amável, uma vez ou outra ponho uma pimentinha, porque sou humana, claro, mas no geral, Graças a Deus, a maioria dos meus amigos virtuais são também amigos ou colegas da vida real. Isso me deixa tranquila, pois quem me conhece ao vivo e a cores sabe como eu sou e me aceita nesse meu jeito de ser…Pelo menos é o que eu espero!

Placeholder Image

 

DIVAGAÇÕES I

Des-preparar. Ou preparar. Quem sabe? Fomos preparados para a luta diária ou aprendemos na prática?  Como soubemos nos equilibrar nos saltos, nos descalçar para brincar nos parques com as crianças, passar no mercado na volta do serviço, engolir às pressas e ir para a faculdade e tantas outras ações e reações  de que é composta a vida diária.

Ao escrever me veio à mente, que  temos lembranças genéticas, temos anjos da guarda (tias, amigas, vizinhas, mãe, sogra, primas),  temos exemplos (heroínas de livros, filmes), enfim,  creio que  ao ouvirmos a música sabemos como dançar, de forma intuitiva, por uma questão de sobrevivência.

Sendo assim, creio e espero por essa sabedoria sem nome,  de anjos celestiais ou humanos, e principalmente pelo conhecimento e decisão pessoal,  que aprenderei a viver os anos futuros  na condição de aposentada.  Aprenderei na prática. Ou me des-prepararei. Quem sabe?

Fui e serei sempre uma boa aprendiz!

 

 

VIDA II

Já escrevi um texto com esse título. Mas não me ocorre outro título, neste momento, por isso vida II. Vida é onde tudo acontece, onde pensamos, fazemos, exercitamos nossos dons, nos alegramos,  nos entristecemos . E ela,  a vida, precisa de Fé, pois, sem Fé a vida fica pesada, difícil. A fé a que me refiro não tem templo, nomenclatura, ou endereço.

Fé ou se tem ou não tem. E na falta da Fé o que há? Há o desperdiçar da vida, o desassossego, a  inquietude com a vida , a não vida. Agradeço ao Espírito Santo de Deus por ter despertado em meu coração a Fé, e devo  alimentá-la sempre, procurar a fonte dessa energia divina  em todos os dias da minha vida  e com isso viver e ser feliz hoje e tendo sempre a crença de que somos os filhos amados Dele, que um dia retornarão à casa do  Pai . Eu creio nisso!

 

AMOR

Se vc diz que está sofrendo por amor, é engano seu. O amor não faz sofrer, o amor acalma, preenche, alegra, dá ânimo, o amor é do bem e só faz bem. O que faz sofrer é outro sentimento, é posse, é apego, é luxúria, é desejo. Como disse a Rita Lee o amor é do bem, a paixão é do mal. Vejo muitas postagens de mulheres lindas, em pleno século XXI implorando pelo que elas acham que é amor e me entristeço por elas. Como eu gostaria de dizer a cada uma delas : saia desse estado, não se desperdice, não se dê a quem não tem amor por você ! Ame-se em primeiro e talvez até último lugar, mas aprenda : Se você está sofrendo, isso não é amor!

f9610fdb3c9824723d130392910704e2--feeling-beautiful-for-lovers

 

 

BANZO

Banzo. Não conhecia essa palavra. Na verdade, nem tive curiosidade de ir ao dicionário procurá-la. Me bastou ter a sua descrição para aceitá-la,  pois logo a reconheci como se reconhece algo que você sente, mas não sabe  o que é. Estou com banzo. Ao abraçar meu filho em despedida, ao arrumar minha mala, ao despedir das crianças, ao ficar comigo mesma em duas horas e dez de voo, o tempo todo tenho comigo esse sentimento inexplicável, misto de vontade de não existir, ou de dormir e acordar normal. Viver é um desafio constante e requer coragem!

IMG_1461

 

 

PRIMAVERA

Esperança, beleza, renascimento. Que venham as flores, a chuva, o novo tempo, que nos encantemos de novo, e sempre, o mundo que o Criador nos deu como morada e lindo, apesar das inquietudes da nossa alma.

IMG_0428

 

SONHOS

Sonhos…Sonhos reais, com riqueza de detalhes, sonhos com sentimentos, emoções, cheiros, sons. Sonho com o inimaginável,  com o possível, com o idealizado, com o impossível. Sou farta de sonhos. Como uma esponja absorvo o mundo, as notícias, a vivência e ao dormir, no mundo do sono, com o corpo em repouso, minha alma fica livre,  mistura tudo e aí eu sonho. Às vezes, o sonho é tão bom, que acordo sorrindo. Em outras ele é tão tenso que acordo cansada; em outras ele é tão importante, que durmo de novo na certeza ou expectativa de que, como nas novelas, ele terá os próximos capítulos!
Ah, no mundo dos sonhos, onde a alma é livre, como só são livres as almas  daqueles que dormem, onde o amor é lindo, a coragem flui , onde tudo é perfeito …Eu sonho!

IMG_6448.jpg

 

INCOMPLETUDE

Gostei dessa palavra… nem sei se ela existe. O que sei é que há muito tempo atrás eu já sentia incompletude. Como? Em forma de reticências .
Eu sempre achava que a história da minha vida se fosse escrita não tinha ponto final . Eu a imaginava com reticências …
Hoje estou serena, madura, coerente  e sensata . Sendo assim racionalizo . E quando minha mente não consegue administrar o que ocorre aí sei que preciso me ajudar. Rezo, mexo com minhas plantas, graças a Deus me recomponho, retorno aos trilhos e vida que segue . Portanto,  não há o quê ou quem  me completaria, pois admito agora, para mim e para o Universo que não existe a minha metade da laranja.

Eu sou a laranja ! Completa, Doce, Inteira !

 

PERDAS E DANOS 

É estranha essa expressão. Não levando no sentido jurídico, mas repetindo a expressão de uma forma coloquial, eu me pergunto: há perda sem dano? Ou dano sem perda? Bom, essa palavra me veio à mente, mas já a devolvo ao mundo, pois que não quero  alimentar pensamentos destrutivos! Embora pensar numa palavra doce, como por exemplo, satisfação, sofisticação, ou porque não, solução?

Vamos nos cercar de palavras, pensamentos e pessoas que nos trazem ou fazem bem!

 

AMOR PLENO 

Não fui feliz no amor … Não amei e fui amada como li nos romances e fotonovelas, nem como vi nos filmes de amor. Não vivi uma linda história de amor, com final feliz. Essa constatação, hoje, não me machuca, mas confesso, me surpreende. Fui uma menina moça bonita, fui uma mulher assediada, e o fato  de ter casado aos dezesseis anos foi uma dádiva ou fardo, dependendo do que ocorria em minha vida. O amor mútuo, pleno, sincero  e reciproco só conheci nos romances. E porque a surpresa?  Porque acho que eu merecia o amor, ou será que não? Vai saber e, sinceramente, nesta altura da vida, além de não saber se realmente existe esse amor, não sei se o aceitaria, se saberia reconhece-lo e aceitá-lo. Mas acredito que, se o amor existe a minha cota está reservada para algum momento, em algum lugar, neste imenso Universo, nesta ou em outras vidas, E se isso acontecer prometo que não virarei a esquina !

 

 

SURPRESAS

Surpresas são situações que não esperávamos. Eu prefiro chamar de surpresas só as coisas boas, inesperadas, inimagináveis, e favoráveis. Passei a pensar sobre isso, quando meu neto Junior, mesmo sabendo que teria uma festa de aniversário, queria que fosse ” surpresa” . Garotinho esperto o meu neto!

 

COTIDIANO

Um dia após o outro . ” Todo dia ela faz tudo sempre igual” já diz a letra da canção .

Para mim, fuga ou refúgio.

Prefiro.

Auto preservação? Pode ser. Cansaço? Pode ser. Acomodação? Bem provável…

De todo modo, gosto do cotidiano e isso não impede que eu admire ( com um misto de

espanto) as pessoas inquietas, como dois dos meus filhos, que estão sempre de olho no

” que vamos fazer amanhã?”

 

DIVAGAÇÕES II

Divagações e Citações …

“O correr da vida embrulha tudo. A vida é assim: esquenta e esfria, aperta e daí afrouxa, sossega e depois desinquieta. O que ela quer da gente é coragem”

 

FOI ASSIM…

Ao me acompanhar até o portão para a despedida, o fez com o tradicional beijinho nas duas faces, e a esse gesto eu tive um ímpeto, e quis corresponder com um abraço, um abraço de verdade, aqueles de enlaçar o corpo e encostar o rosto em seu peito, sem saber o que viria a seguir.

Será que o contato físico acordaria a antiga química ?

Será que me faria disparar o coração?

Será que ao abraço, seguiria o gesto de erguer o rosto e esperar um beijo?
Não, com certeza que não! A fogueira das ilusões já se apagou e graças a Deus não saí chamuscada!
O abraço se houvesse seria um abraço que se dá em uma despedida ou chegada…
Um abraço fraterno.

 

PERGUNTAS 

Nada com lugar nenhum. Doce e sem sabor. Frio e Suor. O que é isso?

O meio termo? O quase? Não questiono isso em pessoas que são excessões. Minha pergunta vai para a maioria, para a quase unanimidade.

Ou a exceção sou eu?

Não sei, mas sei que preferia ter mais energia em meu viver.

Esse mais ou menos não me satisfaz.

Essa não sou eu.

Não o eu que existe em algum canto da minha alma.

Não o eu que SEI que sou…

 

DATAS

Mais um ano se finda… já não gosto do calendário…

Mas sempre gostei de números e por isso minhas lembranças, quando as quero

rememorar, as procuro por datas… Tipo, em 1975 mudamos para Corumbá, ou,

em 1981 conheci o Rio de Janeiro…

Ultimamente só estou administrando consultas médicas e exames por datas…

Enfim, voltando ao ano que finda , meu grande desejo é que eu volte a ser mais “leve”,

Em todos os sentidos…

Um ano de 2017 calmo e doce é o que eu espero e desejo a todos os meus amigos…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s