Minhas histórias

Eu a considerava uma idosa. Mas ela era apenas uma mulher sozinha. Nas famílias antigas era muito comum acontecer isso. A moça que não se casava ficava na família, à disposição de quem precisasse dela. Só hoje eu tenho esse olhar, esse entendimento. À época eu olhava a necessidade que eu tinha dela, o quanto eu queria que ela viesse para minha casa me ajudar…eu já tinha duas filhinhas e estava esperando outro filho. Então ela era o meu sonho, uma tia que pudesse morar comigo e me aliviar da carga pesada que minha vida tomou em pouco tempo. De estudante aos dezesseis anos eu era mãe de três filhos aos dezenove. Muita responsabilidade, muito serviço, muito tudo. Mas quem era eu para ousar pensar nisso. Embora eu fosse casada e com filhos eu ainda não fazia parte da roda dos adultos. Mas, neste ponto desta história eu me ajoelho mentalmente, para agradecer primeiro a Deus, depois aos meus pais, não sei se a mãe ou ao pai ou aos dois.

Eles estavam atentos a mim, a minha luta diária mas, como foi a conversa, como conseguiram não sei, só que ela apareceu em minha casa com seu pequeno embrulho de roupas, pouquíssimas coisas de toalete, e uma total disponibilidade de alma para morar comigo e me ajudar com as crianças!

Minha tia! Irmã do meu pai. Uma velha jovem que achou tudo tão fácil, escolheu a filha do meio e passou a cuidar dela, dava banho, arrumava seus cachinhos e a chamava de “Che mitã Cunhã”.

E assim ela morou comigo por alguns poucos anos, porque certamente já havia outra pessoa da família precisando dela e, da mesma forma que os adultos resolveram que ela viria me ajudar, já tinham decidido quem ela iria ajudar dessa vez.

Com estas memórias quero apenas homenagear um ser humano assim tão despojada de si mesma, tão feliz em cuidar dos outros, pelo menos eu tive essa graça de vê-la como uma tia-avó amorosa da minha filha, uma pessoa que passou por este mundo para mostrar o dom da doação.

Obrigada, minha Tia Crescencia por ter nos dado de beber da água da sua fonte: a Fonte da Doação!

Publicado por blogdadivinablog

Me autodenominei Divina, Perfeita e Maravilhosa. Não é por vaidade e sim porque acredito que foi assim que Deus nos criou: à sua imagem e semelhança. Mesmo que humanamente isso pareça impossível, ao expressar minha crença me sinto bem. Busco o melhor sempre. Tenho fases, sou de Libra e isso ajuda a explicar minhas qualidades e meus defeitos. Amo a vida, minha família, meus amigos. Estudei bastante, sempre gostei de ler, li romances, documentários, biografias...mas minha maior bagagem é de vida, pois sou intensa. Amo muito, preocupo-me muito, erro muito, e procuro muito acertar! Vou dividir com vcs um pouco da minha experiência de vida, neste espaço que considero meu "travesseiro virtual" e o convido a compartilhá-lo comigo. Venha?! Criei este blog em agosto de 2010 na plataforma blogspot. Posteriormente o trouxe para o WordPress . Agora em 2021 estou agregando-o ao meu site asdivinas.com.br

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: